sábado, 26 de dezembro de 2015

Sem escolha


Qualquer lugar é o certo para invadir territórios.
As vontades que surgem num só gesto, num só olhar,
Tornam-se insuportáveis, se não satisfeitas.
Foder torna-se a única solução, onde quer que seja.
Apenas uma perna levantada, a entrada facilitada
E basta para que sejam saciadas as urgências
Indisfarçáveis no volume que cresce e implora que o soltem,
No líquido que se escapa abundantemente,
Nos pequenos espasmos que, num segundo,
 atravessam os corpos de lés a lés, como descargas eléctricas
que fazem despertar os sentidos.
Prisioneiros de líbidos insolentes,
Escravos de corpos que se insubordinam.
Resta servi-los.
E foder é a resposta que sempre urge.

3 comentários:

  1. corpos escravos resta servi-los
    invasão de territórios
    eram amor proibido, um dia
    insubordinados unem-se
    ao mundo dizendo nada
    ......()

    ResponderEliminar

- As críticas são bem-vindas, sobretudo as inteligentes
- Opiniões, sugestões, declarações, informações e tudo o resto cabem aqui.
- O que não cabe? Má educação, insultos ou publicidade descarada a outros sites e/ou blogs, tipo spam.
- Respondo a todos menos a anónimos(as)