quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Não, nada


Não digas nada,
não vale a pena.
Não faças nada,
eu faço-o para ti.
Não contes nada,
eu sei-o bem.
Não prometas nada,
eu sinto-o aqui.
Não lamentes nada,
eu ainda agora começei.
Não recordes nada,
eu aponto-te o futuro.
Não te agarres a nada,
eu ofereço-te a âncora.
Não chores por nada,
eu sou comédia permanente.
Não esqueças nada,
eu entro-te nas veias.
Não me ames por nada,
eu sou veneno mortal.
Não morras por nada,
eu já morri por nós.

8 comentários:

- As críticas são bem-vindas, sobretudo as inteligentes
- Opiniões, sugestões, declarações, informações e tudo o resto cabem aqui.
- O que não cabe? Má educação, insultos ou publicidade descarada a outros sites e/ou blogs, tipo spam.
- Respondo a todos menos a anónimos(as)