sábado, 9 de janeiro de 2016

Agora


Se não for agora, não será mais.
Se não perceberes, não me mereces.
Se não aceitares, não irás ao céu.
E agora anda, prepara-te,
porque até ao céu há muito pelo meio
e não há tempo a perder.
Escusas de fazer a mala,
não precisas de levar o que seja,
deixa o coração em casa
que ele também precisa de descanso.
Mas não te esqueças do corpo
sem ele nada feito.
Leva os bícepes aquecidos para me segurares,
leva as coxas torneada para que possa cravar-lhes as garras,
leva esses lábios polivalentes para me dares acabamentos,
leva o peito, feito, para, no fim, servir-me de encosto,
leva esses olhos para veres como se faz e como se sente,
leva essas nádegas e decidirei o que fazer com elas
e leva a chave, a maior que tiveres,
porque é ela que me abrirá,
dando as voltas que forem precisas.

12 comentários:

- As críticas são bem-vindas, sobretudo as inteligentes
- Opiniões, sugestões, declarações, informações e tudo o resto cabem aqui.
- O que não cabe? Má educação, insultos ou publicidade descarada a outros sites e/ou blogs, tipo spam.
- Respondo a todos menos a anónimos(as)